Meio Ambiente

Equilíbrio do ecossistema

O TGSC tem a preocupação constante de garantir a preservação do meio ambiente em todas as etapas do projeto, assegurando a preservação das espécies e o equilíbrio do ecossistema. Durante a etapa de supressão da vegetação desenvolveu o programa de resgate e salvamento, dividido em três frentes:

 

  • Afugentamento e resgate de fauna
    • 14 indivíduos – 7 espécies (sapos, rãs e pererecas)
  • Salvamento, resgate e realocação de epífitas
    • 1300 indivíduos – 19 espécies (16 bromélias e 3 orquídeas)
  • Resgate e salvamento de plântulas
    • 151 indivíduos – 14 espécies

Compensação ambiental e florestal

Para viabilizar um empreendimento, a legislação prevê medidas de compensação ambiental e florestal para equilibrar a preservação da biodiversidade do planeta. Essas medidas foram definidas pelo IBAMA-DF durante o processo de avaliação do projeto e liberação das licenças ambientais.

Como medida de compensação florestal, o TGSC tem o compromisso de preservar uma área de aproximadamente 100 mil m² que será incorporada ao Parque Estadual do Acaraí. Para compensação ambiental, tem o compromisso de destinar cerca de R$ 2 milhões ao ICMBio, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. O ICMBio utiliza esses recursos para manutenção das unidades de conservação.

Programas de monitoramento

O TGSC, em parceria com a consultoria ambiental OAP, desenvolve um programa de monitoramento das espécies e do ambiente na região do terreno e área marítima do empreendimento. O programa iniciado no período prévio a supressão da vegetação, será mantido durante as etapas da obra e operação do porto. Abrange a identificação e registro de indivíduos presentes na região, contemplando:

Avifauna (aves)
Herpetofauna (anfíbios e répteis)
Mastofauna (mamíferos)
Bioindicadores (espécies e comunidades biológicas na água)
Plânctons (microrganismos encontrados na água)
Macrofauna Bentônica (animais que vivem no substrato dos ecossistemas aquáticos)

Não foram identificadas espécies ameaçadas de extinção, conforme Resolução Consema 002/2011.

TGSC